Falta de manutenção em ar-condicionado gera multa de até R$ 200 mil para empresas e compromete saúde dos funcionários

Falta de manutenção em ar-condicionado gera multa de até R$ 200 mil para empresas e compromete saúde dos funcionários

 

 

Sua empresa tem manutenção de ar-condicionado? Se não, você sabe que já a hora. Ar-condicionado tem sido cada vez mais indispensável para se ter um ambiente climatizado e confortável. Em contrapartida, pouca importância é dada quando falamos em manutenção, quando na verdade, pode ser a solução para o seu problema. Desde janeiro de 2018, por lei federal, prédios públicos e privados devem manter a manutenção em dia. Caso contrário, a multa pode chegar até 200 mil reais a quem deixar de cumprir o planejamento da manutenção.

Bactéria encontrada no ar-condicionado pode até matar

 

Houve casos em 2018, em que 6 pessoas morreram em Nova York devido a doença do legionário, um tipo de pneumonia derivada de uma bactéria encontrada em ar-condicionado. Na mesma época, 64 pessoas estavam hospitalizadas por causa desta infecção pulmonar, totalizando 81 pessoas infectadas.

A orientação é que empresas e condomínios contratem técnicos ou estabelecimentos especializados para realizar a limpeza do ar-condicionado periodicamente. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou a Resolução 176/00, exigindo testes periódicos nos aparelhos de ar em empresas. Esses testes devem ser feitos pela vigilância sanitária dos municípios para comprovar que o ar não está contaminado.

Esse tipo de cuidado garante que a saúde das pessoas não seja comprometida por

causa da falta de limpeza ou manutenção dos aparelhos. Em alguns casos, os aparelhos sujos podem acumular bactérias e fungos, então quem respira o ar pode ter crises de rinite ou sinusite e, em casos mais graves, pneumonia.

 

Evite multas e prejuízos à saúde através do PMOC

Sabendo que a falta de limpeza e manutenção preventiva dos ares-condicionados gera tanto multas para empresas como compromete a saúde dos funcionários. A principal medida para resolver esses problemas é através do PMOC.

PMOC é uma sigla referente a Plano de Manutenção, Operação e Controle aplicados aos sistemas de aquecimento, ventilação e ar-condicionado de qualquer natureza. Trata-se da orientação técnica elaborada por um grupo de consultores sobre “Padrões referenciais de qualidade do ar interior em ambientes climatizados artificialmente de uso público e coletivo”.

O PMOC realizado pela EIXO Consultoria é dividido em 3 etapas, são elas:

  1. Coleta de Requisitos: serão realizadas visitas técnicas ou coleta de dados, como requisito necessário para a execução e entrega do projeto.
  2. Desenvolvimento do PMOC: será desenvolvido um relatório indicando a regularidade de cada tipo de manutenção (mensais, trimestrais, anuais) para cada equipamento.

 

  1. Desenvolvimento do Cronograma: com o intuito de facilitar a leitura da regularidade de cada tipo de manutenção, será desenvolvida uma planilha que organiza as manutenções de acordo com cada regularidade.

 

Com base nisso serão entregues os relatórios de manutenção, tagueamento dos aparelhos e relatório de carga térmica dos ambientes. Após todas as etapas será possível manter uma boa qualidade do ar e um ambiente de trabalho mais favorável.

 

Quer saber mais? Entre contato conosco e faça um diagnóstico gratuito!

Evite multas, saiba como se adequar à NR 12

Segurança é um dos principais itens na hora de fazer um projeto e para isso existe as normas regulamentadoras, que servem como parâmetro para garantir uma segurança mínima. Dentro dessas normas existe uma das mais importantes a NR 12, que tem como objetivo garantir que máquinas e equipamentos sejam seguros para o uso do trabalhador. Muitos empregadores não conhecem a importância ou os itens necessários para obter a NR 12, neste artigo será descrito os documentos necessários além de mostrar as consequências de não estar regulamentado.

Além de regulamentar o projeto, a NR 12 cobre “fabricação, importação, comercialização, exposição e cessão a qualquer título, em todas as atividades econômicas” de “máquinas e equipamentos de todos os tipos”, bem como sua utilização.  Essa última etapa seria o transporte, montagem, instalação, ajuste, limpeza, manutenção, inspeção, desativação e desmonte da máquina ou equipamento. A norma exige informações completas do ciclo de vida das máquinas e equipamentos.

De acordo com a NR 12 é de responsabilidade do empregador o cumprimento da norma, adotar as medidas de segurança para o uso seguro das máquinas e equipamentos.

A norma exige que sejam considerados algumas medidas como proteção coletiva, administrativas ou de organização do trabalho e proteção individual. Os objetivos da NR 12 são a segurança do trabalhador, melhorias das condições de trabalho em prensas e similares, injetoras, máquinas e equipamentos de uso geral, máquinas e equipamentos intrinsecamente seguros.

 

Medidas exigidas pela NR 12

Para está adequado a NR 12 é exigido uma série de medidas de proteção que vão ser abordadas neste tópico. São elas:

  • Medidas de proteção coletiva: São medidas que envolvem proteções físicas fixas em áreas de risco, como o enclausuramento de sistemas de transmissão por correias ou polias. Outro exemplo seria o circuito de parada de segurança. Cada máquina tem seu sistema operacional único e as medidas de segurança depende de uma análise prévia.
  • Proteção individual: São os equipamentos de proteção individual (EPI) que devem ser utilizados durante a jornada de trabalho, prevendo o tempo de exposição a fatores de risco. Os itens devem ser definidos no PPRA (Programa Prevenção a Riscos Ambientais), previsto pela NR 9, e PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), determinado pela NR 7.
  • Medidas administrativas: Para que a segurança funcione a equipe de funcionários devem estar bem familiarizados com as medidas de segurança e treinados, para isso a empresa tem que garantir treinamentos periódicos e documentados, com procedimentos e riscos das atividades, além de providenciar uma política de manutenção preventiva dos equipamentos para diminuir as falhas técnicas.

 

Documentos exigidos

É preciso obter e manter atualizados os seguintes documentos:

1. Inventário de máquinas: É onde é documentado todas a máquinas do local com as seguintes informações:

  • Identificação da máquina e equipamento;
  • Descrição geral (tipo, fabricante, modelo, características);
  • Capacidade, produtividade, tempo de operação por dia, operadores envolvidos;
  • Diagnóstico com relação a NR 12 (sistema de segurança);
  • Previsão da adequação;
  • Recursos financeiros para a adequação;
  • Localização em planta baixa (layout).

2. Planta baixa: É o desenho do mapa do local onde indica a posição de todas as máquinas, para qualquer pessoa mesmo sem conhecer o local consiga localizar a máquina. Além da sua importância para auditorias, fiscalizações e para caso haja algum acidente seja agilizado pelo conhecimento da planta do local.

3. Manual de operação e manutenção: É a documentação que contém todo o procedimento para operar a máquina e fazer sua manutenção de forma segura. É de suma importância que todas as máquinas tenham esse documento pois além de ser uma exigência da NR 12, é requisitado pelo código de defesa do consumidor.

4. Análise de risco: É o mais importante para atender a NR 12, pois é nele que contém toda o mapeamento dos riscos presente e inerentes a cada máquina, é com base nesse documento que é feito a análise de como diminuir esses riscos. É importante ressaltar que a NR 12 exige que a análise de risco contenha a ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) assinada por um engenheiro registrado no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia).

5. Diagnóstico: É a complementação da análise de risco. É um checklist básico que contém o item da norma que está atuando no equipamento, evidenciando o cumprimento à NR 12 e a conclusão. Enquanto a análise de risco aponta os riscos existentes e as ações para reduzir, o diagnóstico indica se os critérios exigidos pela NR 12 estão sendo atendidos.

 

 

 

Riscos por descumprimento da NR 12

Com a não regulamentação a NR 12 pode acarretar tanto riscos para o empregado quanto para o empregador. Sem seguir a norma os acidentes podem acontecer com uma probabilidade maior além de serem mais graves podendo levar a perda de algum membro ou em último caso a morte. Para a empresa tem uma série de consequências como o aumento de riscos de acidentes, insegurança dos colaboradores, prejuízo na imagem da empresa no mercado, indenização em processos trabalhista, além de que toda empresa está sujeita a ser fiscalizada pelo ministério do trabalho e emprego. Durante a fiscalização, o fiscal irá verificar se estão sendo atendida as exigências da NR 12.

Em alguns casos o fiscal apenas notifica a empresa para se adequar, porém há muitos mais casos onde o fiscal emite multa por infração, que tem um valor elevado podendo chegar a até 50 vezes o valor de referência do equipamento, e uma mesma máquina pode receber várias notificações, aumentando mais ainda o valor da multa.

Para entender mais sobres os riscos por não estar de acordo com a norma NR 12 leia nosso E-book 7 principais riscos para sua empresa em não se adequar à NR 12”.

Vantagens da adequação

Além de ser obrigatório a adequação à NR 12, tem várias vantagens em estar de acordo com a norma. O principal objetivo da norma é a diminuição dos riscos que por si só já é uma grande vantagem. São elas:

  • Imagem institucional: Uma empresa que ocorre muitos acidentes não é bem vista, além de ter uma imagem negativo por partes dos colaboradores por gerar insegurança no ambiente de trabalho, é malvisto externamente tanto pelo público quanto pelos investidores, já uma empresa que investe em segurança tem uma imagem muito mais forte interna e externamente.
  • Melhor produtividade: Como a norma exige uma documentação de operação e manutenção, além de treinamentos regulares. Os colaboradores vão conhecer muito bem os procedimentos e vão conseguir executá-los com menor chance de erro, melhorando a produtividade.
  • Mais tecnologia no processo: Com a aplicação de tecnologia a favor da segurança a empresa pode ter um valor agregado maior nos ativos, ou seja, a empresa tem um maior valor de mercado. E com a aplicação dessas tecnologias em máquinas antigas com tecnologia já superada, traz uma sobrevida para a máquinas.

Depois de conhecer a importância da NR 12, é preciso colocar em pratica na sua empresa  para evitar acidentes e todos os riscos já apresentados aqui. Com EIXO Consultoria é possível fazer a adequação de todo o maquinário à NR 12.Conheça mais sobre nosso serviço de NR 12.

4 simples passos para economizar energia na sua empresa

 

Hoje em dia, é fato que a demanda de energia elétrica para qualquer empresa é cada vez maior. A eletricidade é, e tende a continuar sendo, o motor de várias indústrias e empresas. Sem ela, pouca coisa funciona.

Além disso, vivendo numa era da informatização, da tecnologia e da abundância de recursos digitais essa situação acaba sendo acentuada. No entanto, a adaptação a essa realidade é complicada, principalmente no caráter financeiro. Num país como o Brasil, que possui a 6ª conta de luz mais cara do mundo, muitas empresas se veem pagando contas de energia altíssimas e não conseguindo obter retorno produtivo por esse seu consumo.

Mas é possível solucionar essa situação?

É claro que algumas atitudes podem ser tomadas para amenizar essa conta tão cara. As ideias mais pensadas quando se fala em economizar energia, são de desligar os aparelhos ou apagar as luzes para evitar o desperdício. Embora isso não seja incorreto, há outras práticas e técnicas mais inteligentes e objetivas de poupar sem afetar o seu consumo, isto é, economizar de maneira eficiente.

E, com o conteúdo desse artigo, a EIXO Consultoria irá lhe mostrar algumas simples atitudes que podem ser realizadas e resultar numa excelente redução da conta de energia da sua empresa.

Achou interessante a ideia? Continue lendo o artigo e descubra os 4 simples passos de como economizar energia na sua empresa.

Passo#1: Adequação inteligente da iluminação

            No que se refere, ao consumo elétrico, é fato que o gasto com uso de lâmpadas é de alta relevância. Num escritório, por exemplo, a iluminação corresponde a 60% de todo o consumo de energia. Nesse sentido, é importante realizar uma análise específica a respeito do investimento em lâmpadas mais eficientes, isto é, que entregam uma boa quantidade de luz com consumo menor de energia.

Dessa forma, a lâmpada LED é a melhor opção para a realidade da iluminação, visto que propõe aspectos interessantes como sustentabilidade, durabilidade e economia. Apesar de seu custo inicial, mais caro que as outras opções, o retorno a médio e longo prazo é algo que compensa a sua utilização.

Mesmo assim, para fazer essa troca é importante, previamente, entender o ideal posicionamento e a localização das lâmpadas para cada ambiente da sua empresa. Nesse estudo, é válido utilizar de apoio profissional para que a iluminação esteja coerente, uniforme e adequada para o local.

Além disso, existem ações mais diretas que podem ter ótimos resultados no aspecto da iluminação. É o caso da instalação estratégica de sensores de presença em locais de pouco movimento, que ajudam num gasto mais útil. Assim como, fazer a alteração na pintura de ambientes com cores claras, que apesar de ser uma atitude mais simples, pode ter resultados substanciais na redução da conta de energia.

Passo#2: Correção do Fator de Potência

É importante perceber que para economizar energia, ter um conhecimento sobre sua conta de energia é bastante válido, assim como, entender que existem dois tipos de energia que são cobradas nela: a energia ativa e a reativa. Motores elétricos, lâmpadas fluorescentes, máquinas de solda e transformadores são os equipamentos que mais solicitam energia reativa, necessária para o funcionamento destes circuitos.

 

A questão é que este tipo de energia, quando excedente, pode provocar perdas por aquecimento, quedas de tensão e requer condutores de maior seção e transformadores de maior capacidade. Realizando um analogia, pode-se dizer que comparativamente com uma cerveja, a Energia Reativa seria equivalente a espuma produzida no copo, a qual ocupa espaço sem necessidade. Da mesma forma, um alto reativo resulta num aumento na conta de energia sem oferecer trabalho real útil.  Nesse sentido, é interessante entender o conceito de Fator de Potência.

O Fator de Potência (Fp) mede a relação entre energia ativa e reativa, indicando assim o grau de eficiência dos  sistemas elétricos. Valores altos representam bom aproveitamento, enquanto valores baixos indicam mau aproveitamento e sobrecarga para o sistema elétrico. A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, determinou que clientes industriais tenham um Fator de Potência de no mínimo 0,92.

Além de um impacto financeiro, um Fator de Potência reduzido resulta no aumento da corrente total que circula pela rede elétrica, podendo causar variações de tensão, danificando equipamentos eletrônicos. Motores e transformadores superdimensionados ou operando com pequenas cargas, uma grande quantidade de motores de pequena potência ou até mesmo lâmpadas fluorescentes podem causar uma baixa no Fator de Potência.

Mas como solucionar esse problema?

A ideia mais adequada é a utilização de um banco de capacitores que libera a capacidade para a instalação de novos equipamentos. Em geral, após a instalação do banco, é possível ter o retorno do investimento com a redução na conta de energia entre três a cinco meses.

Passo#3: Consciência com o Ar-condicionado

 É fato que a maioria das pequenas e médias empresas possuem ar condicionados e, como sabemos, é um dos aparelhos que mais consome energia elétrica. Logo, é importante, e, bem possível, tomar algumas atitudes que podem tornar esse consumo mais eficiente, afetando menos a conta de energia da sua empresa e garantindo mais segurança com os seus equipamentos.

Nesse sentido, existem alguns pontos que se tem que ficar atento sobre os ar-condicionados:

  • Selo Procel A: Encontrado na maioria dos eletrodomésticos, este selo, é uma forma de orientar o consumidor na hora da compra, indicando quais produtos podem apresentar os melhores níveis de eficiência energética dentro de cada categoria. Os equipamentos com o Selo A são os mais econômicos. Vale a pena gastar um pouco mais, pois o investimento retorna com o tempo.
  • Dimensionamento adequado: na hora de comprar um aparelho, devem ser considerados diversos fatores: número de pessoas, espaço e volume do ar, equipamentos utilizados, incidência solar. Caso o aparelho não esteja dimensionado corretamente, você estará utilizando energia de forma ineficiente.
  • Plano de Manutenção: um equipamento mais limpo aquece menos e precisa de menos energia para funcionar, além de melhorar o conforto e a qualidade do ar. Além disso, O PMOC (Plano de Manutenção, Operação e Controle) é obrigatório para todos os edifícios de uso público e coletivo que possuem ar condicionado.

Para evitar multas na sua empresa e entender mais sobre essa regulamentação obrigatória, conheça nosso E-book: “Tudo sobre PMOC” .

Passo#4: Manutenção na instalação elétrica

 

Como já sabemos, manutenções são de alta importância para que suas instalações elétricas estejam seguras e funcionando adequadamente. Dessa forma, é importante perceber que existem problemas causados por falta de cuidado na instalação que podem afetar bastante a conta de energia. Situações como curto-circuito e fuga de corrente podem trazer grandes prejuízos para a sua empresa.

Nesse sentido, é necessário estar atento as questões de prevenção do sistema elétrico da sua empresa. Com apoio de profissionais no setor, é possível entender a situação da sua rede elétrica e fazer uma verificação a cerca da necessidade de manutenção ou ajustes nas instalações.

 

 

 

Passo#EXTRA: Buscar consultoria para identificar e planejar soluções de diminuir o custo com energia elétrica na empresa

 

O mais recomendado mesmo é solicitar uma consultoria em Eficiência Energética e se livrar de todas essas dores de cabeça. É a opção mais válida e efetiva para reduzir o consumo e consequentemente diminuir as despesas com energia.

Com a EIXO Consultoria é possível obter soluções viáveis e objetivas para sua empresa, de maneira responsável e comprometida a reduzir os seus gastos da conta de energia.  Conheça nosso serviço de Eficiência Energética AQUI.

 

 

Mecanização Agrícola: Entenda como a automação pode ampliar o agronegócio

Mecanização Agrícola: Entenda como a automação pode ampliar o agronegócio

O século 20 é conhecido como o de maior aumento populacional no Brasil, pois houve um aumento de cerca de 129,4 Milhões de pessoas, superando qualquer aumento populacional conhecido. Diante disso, começou a surgir uma demanda de alimentos cada vez maior para suportar a quantidade de pessoas que habitavam e iriam habitar o mundo. Diante desse cenário notou-se que a capacidade da produção de alimentos naquela época não ia comportar toda a atual necessidade, assim uma das ideias para alavancar a produção de alimentos foi a mecanização agrícola processo que é dado pela automação da produção, através de maquinas como tratores e roçadeiras, formas de plantação em curva de nível e terraceamento , irrigação por gotejamento ou aspersão, entre outros.

Atualmente, o processo de mecanização não foi dado somente para um tipo de produção, assim englobando diversas culturas, entretanto com um único objetivo, a alta produtividade, reduzindo custos e alavancando a produção.

Para atingir esse objetivo foi necessário a atuação direta da Engenharia Mecânica, para que assim com a elaboração de maquinas o processo de produção fosse mais objetivo e que conseguisse poupar o tempo e mão de obra, assim elevando seus lucros.

Um dos principais cenários que confirmam a atuação da Engenharia é na produção do maquinário agrícola, como se é visto com frequência no Brasil na colheita de soja.

Atualmente, toda produção em larga escala tem a necessidade de uma produção automatizada com a presença de maquinas agrícolas, para que possa otimizar sua produção em cerca de 70%. Assim, não só melhorando a produção e a demanda de alimento, mas também tendo um impacto socioeconômico positivo, pois os trabalhadores rurais deixaram de fazer o trabalho braçal da colheita com condições análogas a escravidão e começaram a se capacitar para atuar em cargos de maior qualificação. Indo em contrapartida ao estereótipo de que com o aumento do uso da tecnologia pessoas perdem seus empregos, Mario Campos secretário-executivo do Sindicato da Industria do Açúcar e do Álcool em Minas Gerais (Siamig), afirma que no período de 2004 a 2011 com a mecanização agrícola o número de empregos saltou de 35 mil para 80 mil.

Assim, alguns exemplos que confirmam

  1. Máquinas Agrícolas Autônomas

Na prática são alguns modelos de tratores da Case, que contém um sistema autônomo sem a necessidade de um operador. O trator contém sensores de presença, sensores de posicionamento global, como GPS e diversas funções já cadastradas para serem realizados na lavoura. Entretanto, como uma segurança para esse processo produtivo é necessário que ainda tenha um controlador em longo alcance, para caso surja alguma necessidade ou comando não definido no trator o operador entra é responsável por esse controle.

 

  1. Sensores de condutividade elétrica do solo

Outro modelo de modernização do campo são esse sensores que fazem o reconhecimento do campo, analisando atributos físicos como textura e matéria orgânica, assim sendo fundamental para o produtor ter noção das características do seu solo, para que possa traçar um plano de ação para sua propriedade, como escolher qual cultura ele vai estar implementando com mais eficácia ou então investir em uma correção de nutrientes para o solo ficar bom para o estilo de cultura que ele vai estar implementando. Um exemplo de correção do solo é a calagem para corrigir a acidez do solo.

 

  1. Sensores para manejo de plantas daninhas

Em busca de uma produção que todo processo seja otimizado, uma empesa holandesa trouxe WEEDit para o mercado com uma proposta de reduzir os agrotóxicos em alimentos e plantações, distribuindo de uma forma mais assertiva, para que assim também diminua seus custos com os gastos dos fertilizantes utilizado.

A proposta dessa empresa é acoplar braços que carreguem esses fertilizantes com válvulas solenoides e um detector a laser para que quando reconhecer essas plantas daninhas seja irrigado com fertilizantes só no local que essas plantas estejam, além disso a proposta desse maquinário é a assertividade e a rapidez, pois é possível fazer essa irrigação com uma velocidade de até 25Km/h.

 

 

Diante disso, nota-se que o avanço da tecnologia para o campo foi necessário para o crescimento da população e benéfica com o aumento da produção e a melhoria das condições de trabalho no campo e com o aumento de trabalhos, simultaneamente.

Atualmente, no cenário nacional o Brasil tem investido muito na mecanização agrícola pelo fato de ser um país extenso e com um clima tropical favorecendo a plantação das culturas. Hoje com esse investimento o Brasil é um dos principais países de exportação de material prima, sendo classificado como um país de Mercado Emergente, com participação no BRICS. Diante disso, para o mercado de engenharia mecânica é algo que está em etapa de consolidação no Brasil e que tem muito espaço para ser explorado.

 

 

Alavanque os resultados do seu empreendimento com Automação Industrial

Alavanque os resultados do seu empreendimento com Automação Industrial

Empresas começam a adotar a chamada indústria 4.0, que promove a digitalização e automação das fábricas e dos processos produtivos para aumento da competitividade.

Desde da crise financeira de 2008, se tornou de conhecimento geral um fato que já era realidade para quem acompanhava a evolução industrial: O Brasil perdeu a competitividade porque se tornou um país caro demais. A tributação tornou-se muito alta, assim como os custos de energia, mão-de-obra, logística, encargos trabalhistas e investimento.

Para se readequar a realidade do mercado internacional cada vez mais empresas brasileiras começam a por em prática planos para se adaptarem à chamada indústria 4.0.

Esta que é considerada a quarta revolução industrial promete, na visão de executivos e analistas, importantes avanços de projetos para impedir que o País fique à margem na economia.

Mas o que é a Indústria 4.0?

É um novo conceito que engloba as principais inovações tecnológicas nos campos da automação, controle e tecnologia da informação, aplicada aos processos da manufatura.

Também conhecida como Indústria inteligente, a Indústria 4.0 é o nome usado para marcar o inicio da 4ª Revolução Industrial que une a internet com a automação.

A partir de Sistemas Cyber-Físicos, Internet das Coisas e Internet dos Serviços, este novo modelo industrial tende a tornar não apenas as fábricas, mas todo o ecossistema fabril mais rápido, autônomo, eficiente e centrado no cliente. Além de desenvolver novas oportunidades e modelos de negócios.

Realmente vale a pena investir em automação?

Não só vale a pena, como também é uma saída estratégica para reverter a situação econômica e a realidade de mercado do nosso país. Os investimentos em automação nos setores industriais podem ajudar o Brasil a fazer frente aos competidores internacionais.

Uma indústria automatizada ganha em produtividade, tecnologia e valor agregado. Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o estímulo à inovação – que tem a automação como um de seus pilares – é a ferramenta fundamental para agregar valor e fazer a indústria brasileira tornar-se mais competitiva.

E o que isso tem a ver com o seu negócio?

Antes algo que era exclusivo apenas para às grandes empresas, hoje é possível também, em menor escala, trazer este benefício para o cotidiano de pequenos e médios negócios, sobretudo aqueles que atuam na indústria e no varejo.

Segundo pesquisas recentes da Microsoft, empresas que se encaixam a esse novo mercado tecnológico, crescem mais rapidamente e são mais rentáveis, em especial as Pequenas e Médias Empresas (PMEs). Sendo essas responsáveis atualmente por 40% do PIB e por 53% da taxa de emprego do país. Por isso, necessitam estar por dentro de novidades e ter conhecimento dos recursos disponíveis para um desempenho cada vez melhor.

Por se tratar de uma nova realidade para este segmento, muitos empreendedores que planejam automatizar os processos da sua empresa devem ter em mente que para isso será necessária uma mudança estrutural básica dentro do seu negócio. Que envolve tanto o investimento em novos equipamentos e softwares quanto a adoção de uma nova cultura organizacional.

7 benefícios da automação industrial:

1) Aumento da produtividade

De longe, um dos benefícios mais significativos atingidos com a Automação Industrial é o aumento e melhoria da produtividade. Um trabalhador não consegue fazer um trabalho repetitivo com perfeita precisão, mas máquinas automáticas conseguem alcançar ciclos de produção cada vez mais velozes com maior eficiência e repetitividade

2 ) Redução de Custos

Um sistema de automação industrial é capaz de reduzir os custos de uma empresa, não só com a redução da mão-de-obra necessária para a produção, como também, com a diminuição do desperdício de material.

Além disso, é capaz de reduzir os custos de instalações, pois oferecem um retorno rápido sobre o investimento através de um aumento na produtividade e eficiência de produção.

3) Melhoria da Qualidade

Máquinas automatizadas são capazes de fornecer resultados consistentes. O que caracteriza a diminuição ou eliminação de erros de processo e consequentemente aumento de qualidade.

Quando os fabricantes utilizam a automação industrial, eles eliminam os problemas de controle de qualidade envolvidos com o erro humano. Os processos podem ser cuidadosamente regulados e controlados, de modo que a qualidade do produto final seja mais consistente.

4) Segurança

Um operador humano pode acidentalmente cometer erros ao operar uma máquina manualmente, mas um sistema industrial automatizado não, pois é um sistema operado por computador e devido a este controle, as chances de acidentes são muito mais baixas.

5) Vantagem Competitiva

Células robóticas, por exemplo, são capazes de fornecer as ferramentas necessárias para diminuir os tempos de ciclo, melhorar a qualidade e reduzir custos. Possibilitando as empresas a permanecerem mais fortes diante de turbulências econômicas e ameaças externas.

6) Precisão

A precisão é um dos principais pontos dos benefícios da automação industrial. Isto porque todas as variáveis envolvidas nos processos de produção são medidos por um computador, que geralmente possui um programa de inteligência artificial embutido. Este programa assegura a precisão e o tempo para a produção. Assim, as probabilidades de falhas na linha de produção são reduzidas ao máximo.

7) Monitoramento Remoto

O monitoramento remoto é um dos benefícios que mais obteve avanço nos últimos anos. Estes sistemas permitem a um operador monitorar e controlar (se necessário) os processos de produção a partir de uma determinada distância.

Automação Industrial é mais que uma necessidade, é uma prioridade.

Para se manter competitivo frente ao mercado nacional e internacional, precisa-se mudar a forma de pensar. Não podendo desconsiderar os efeitos do Custo Brasil na nossa economia, as empresas brasileiras precisam buscar outras formas de crescimento, razão pela qual, é de interesse vital investir na automação afim de reduzir custos e criar oportunidades.

Não perca tempo

A EIXO Consultoria oferece o serviço ideal para quem busca dinamismo e adequação a nova realidade industrial. Com nosso projeto de Automação você pode aumentar a sua produção e diminuir seus custos, pagando ainda menos por isso.

Não perca tempo, nem dinheiro!

Ou ligue para (81) 99750-0993