Como montar um bom currículo?

Um dos questionamentos mais frequentes entre os atuais e futuros profissionais é sobre a estruturação do seu currículo. Como se apresentar? O que devo falar? O quanto vou dizer? Buscando a simplicidade, objetividade e clareza, mostraremos os pontos a serem tratados no conteúdo deste documento, partindo dos cuidados, apresentando a estrutura e falando um pouco sobre a estética.

 

Cuidados

1. Seja claro e simples. Se o conteúdo for muito complexo, o avaliador se cansará de ler.
2. Cuidado com a ortografia! Erros de português não são admissíveis.
3. Não fale na primeira pessoa do singular! A linguagem curricular não deve ser pessoal. Procure a formalidade abordando como: em vez de “Trabalhei voluntariamente na…”, usar “Trabalho voluntário na…”
4. Não mencione características pessoais como “Sou dinâmico”, “Bom com pessoas” ou “Aprendo rápido”. É uma informação generalista que qualquer um poderia dizer. Guarde isso para momentos como dinâmicas e entrevistas.
5. Seja sempre sincero. Não só o avaliador pode verificar a validade das informações curriculares numa entrevista, como o que foi descrito pode ser requisitado no seu trabalho.
6. Seja direto, não enrole! Um currículo muito confuso, longo e prolixo é um ponto a menos.
7. Seja organizado! Separe as categorias, informações e dados de maneira esquemática, podendo utilizar de recursos como negrito e sublinhado para lhe auxiliar.

 

Estrutura

1. Dados pessoais
Devemos nos preocupar em passar as informações necessárias, tais como: Nome, idade, telefones (com DDD incluso), e-mail, endereço e estado civil. Não é necessário informar o CPF, RG ou CEP, a menos que isso seja solicitado pela empresa.

2. Formação
Deve-se informar o seu grau de escolaridade. Para um estudante de graduação, não é necessário falar qual a escola que frequentou, sendo preferível focar na sua instituição de ensino superior e no seu curso. O mesmo vale para pós-graduação, sempre especificando se o curso está em progresso ou se já foi finalizado. Profissionais com MBA, pós-graduação ou curso técnico devem mencioná-los. A descrição deve ter o nome da instituição, curso e ano ou previsão de término.

3. Objetivo Profissional
Fale qual o cargo que você busca. Seja claro e direto para que a empresa possa identificar o seu interesse. Tenha cuidado para não colocar muitos objetivos, pois isso geralmente mostra desqualificação ou falta de foco.

4. Experiência Profissional
Fale das suas experiências, mencionando a Empresa, o(s) cargo(s) ocupado(s) por você, o período (início e fim) e atividade. A importância da descrição da atividade desempenhada existe devido à diversidade da nomenclatura de um mesmo cargo no mercado. Candidatos sem experiência podem citar trabalhos nos centros acadêmicos da faculdade ou participação em projetos de extensão.

5. Cursos
Pode-se informar sobre cursos complementares, de curta duração e até workshops frequentados, mencionando a instituição associada.

6. Idiomas
Informe o seu conhecimento acerca das línguas estrangeiras, falando qual o seu nível em cada uma e mencionando o curso, caso tenha feito.

7. Informática
Nessa categoria, você deve falar sobre o seu conhecimento sobre programas padrão, como o pacote office, e sobre outros pertinentes à empresa ou área de atuação (não descreva apenas aquele destinado ao cargo que você busca, pois a empresa pode querer lhe colocar numa outra posição que requisite outros conhecimentos)

8. Informações complementares
Aqui tratamos sobre experiências internacionais, trabalhos voluntários e dados importantes que não se encaixam em nenhuma categoria mencionada anteriormente. Podemos citar outras atividades extracurriculares, desde que tenham relação com o emprego ou com o seu desenvolvimento profissional.

9. O que não se deve colocar
– Foto (a menos que seja solicitada)
– Título “Currículo”
– Pronomes pessoais
– Informações pessoais desnecessárias
– Pretensão salarial
– Documentos de certificados de cursos
– Assinatura
– Informações negativas
– Caso você não possua nada para colocar em uma categoria mencionada acima, não a inclua no seu documento

 

 

Estética

Geralmente utiliza-se uma estética simples, em preto e branco, que não chame muita atenção (o foco é o conteúdo e não a aparência). Usar uma estética muito elaborada para o currículo pode passar a ideia de que se está tentando enfeitar para compensar a qualidade do conteúdo. Veja o exemplo abaixo:

Como montar um bom currículo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *