Mecanização Agrícola: Entenda como a automação pode ampliar o agronegócio

Mecanização Agrícola: Entenda como a automação pode ampliar o agronegócio

O século 20 é conhecido como o de maior aumento populacional no Brasil, pois houve um aumento de cerca de 129,4 Milhões de pessoas, superando qualquer aumento populacional conhecido. Diante disso, começou a surgir uma demanda de alimentos cada vez maior para suportar a quantidade de pessoas que habitavam e iriam habitar o mundo. Diante desse cenário notou-se que a capacidade da produção de alimentos naquela época não ia comportar toda a atual necessidade, assim uma das ideias para alavancar a produção de alimentos foi a mecanização agrícola processo que é dado pela automação da produção, através de maquinas como tratores e roçadeiras, formas de plantação em curva de nível e terraceamento , irrigação por gotejamento ou aspersão, entre outros.

Atualmente, o processo de mecanização não foi dado somente para um tipo de produção, assim englobando diversas culturas, entretanto com um único objetivo, a alta produtividade, reduzindo custos e alavancando a produção.

Para atingir esse objetivo foi necessário a atuação direta da Engenharia Mecânica, para que assim com a elaboração de maquinas o processo de produção fosse mais objetivo e que conseguisse poupar o tempo e mão de obra, assim elevando seus lucros.

Um dos principais cenários que confirmam a atuação da Engenharia é na produção do maquinário agrícola, como se é visto com frequência no Brasil na colheita de soja.

Atualmente, toda produção em larga escala tem a necessidade de uma produção automatizada com a presença de maquinas agrícolas, para que possa otimizar sua produção em cerca de 70%. Assim, não só melhorando a produção e a demanda de alimento, mas também tendo um impacto socioeconômico positivo, pois os trabalhadores rurais deixaram de fazer o trabalho braçal da colheita com condições análogas a escravidão e começaram a se capacitar para atuar em cargos de maior qualificação. Indo em contrapartida ao estereótipo de que com o aumento do uso da tecnologia pessoas perdem seus empregos, Mario Campos secretário-executivo do Sindicato da Industria do Açúcar e do Álcool em Minas Gerais (Siamig), afirma que no período de 2004 a 2011 com a mecanização agrícola o número de empregos saltou de 35 mil para 80 mil.

Assim, alguns exemplos que confirmam

  1. Máquinas Agrícolas Autônomas

Na prática são alguns modelos de tratores da Case, que contém um sistema autônomo sem a necessidade de um operador. O trator contém sensores de presença, sensores de posicionamento global, como GPS e diversas funções já cadastradas para serem realizados na lavoura. Entretanto, como uma segurança para esse processo produtivo é necessário que ainda tenha um controlador em longo alcance, para caso surja alguma necessidade ou comando não definido no trator o operador entra é responsável por esse controle.

 

  1. Sensores de condutividade elétrica do solo

Outro modelo de modernização do campo são esse sensores que fazem o reconhecimento do campo, analisando atributos físicos como textura e matéria orgânica, assim sendo fundamental para o produtor ter noção das características do seu solo, para que possa traçar um plano de ação para sua propriedade, como escolher qual cultura ele vai estar implementando com mais eficácia ou então investir em uma correção de nutrientes para o solo ficar bom para o estilo de cultura que ele vai estar implementando. Um exemplo de correção do solo é a calagem para corrigir a acidez do solo.

 

  1. Sensores para manejo de plantas daninhas

Em busca de uma produção que todo processo seja otimizado, uma empesa holandesa trouxe WEEDit para o mercado com uma proposta de reduzir os agrotóxicos em alimentos e plantações, distribuindo de uma forma mais assertiva, para que assim também diminua seus custos com os gastos dos fertilizantes utilizado.

A proposta dessa empresa é acoplar braços que carreguem esses fertilizantes com válvulas solenoides e um detector a laser para que quando reconhecer essas plantas daninhas seja irrigado com fertilizantes só no local que essas plantas estejam, além disso a proposta desse maquinário é a assertividade e a rapidez, pois é possível fazer essa irrigação com uma velocidade de até 25Km/h.

 

 

Diante disso, nota-se que o avanço da tecnologia para o campo foi necessário para o crescimento da população e benéfica com o aumento da produção e a melhoria das condições de trabalho no campo e com o aumento de trabalhos, simultaneamente.

Atualmente, no cenário nacional o Brasil tem investido muito na mecanização agrícola pelo fato de ser um país extenso e com um clima tropical favorecendo a plantação das culturas. Hoje com esse investimento o Brasil é um dos principais países de exportação de material prima, sendo classificado como um país de Mercado Emergente, com participação no BRICS. Diante disso, para o mercado de engenharia mecânica é algo que está em etapa de consolidação no Brasil e que tem muito espaço para ser explorado.

 

 

Mecanização Agrícola: Entenda como a automação pode ampliar o agronegócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *